OSCAR UDDENÄS

Em 2022 o BK Häcken fez história ao conquistar o primeiro título em 83 anos de existência. Historicamente, o pequeno clube de Gotemburgo é apenas o quarto na hierarquia da cidade, mas por algum tempo IFK Göteborg, GAIS e Örgryte ficaram para trás. Hoje, os reis da segunda maior cidade sueca vestem de amarelo e preto e muito isso se deve a Oscar Uddenäs. O jovem extremo sueco de 20 anos foi uma das grandes revelações da prova e em três anos conquistou as três primeiras divisões do país de forma consecutiva. Em 2020 e 2021, ao serviço do IFK Värnamo, venceu Ettan e Superettan (considerado então o melhor jovem da competição), levando esse toque de midas para Gotemburgo fazendo do Häcken campeão em 2022.

Já com passagem pela SPAL e internacional jovem sueco dos Sub-16 aos Sub-21, Uddenäs teve uma estreia de sonho no principal escalão do futebol do seu país e ainda que o ritmo goleador e impacto no onze de Høgmo tenha arrefecido na reta final da temporada, terminou-a com sete golos e três assistências. Devastador sobre o corredor direito, Uddenäs é um dos fieis herdeiros do Robben-ismo e com diagonais venenosas seguidas de fortes remates com o pé esquerdo assumiu-se como um dos extremos mais difíceis de travar na Allsvenskan. Ainda por cima, ao contrário do que sucedia com o extremo holandês, Uddenäs é dotado de uma estampa física assinalável.

Apesar de ter sido uma das figuras chave da promoção histórica do IFK Värnamo à Allsvenskan em 2021, Oscar Udennäs chegou à principal divisão do futebol sueco sem qualquer experiência nesse patamar. Formado entre Malmö e Ferrara, para onde se transferiu em 2019 para ingressar nas equipas jovens da SPAL, foi em Värnamo que acabou por se revelar ao mundo do futebol. Seis golos em vinte e dois encontros da Superettan em 2021 foram suficientes para fazer o Häcken acreditar que estava ali o substituto perfeito de Patrik Wålemark e, a verdade, é que o clube de Gotemburgo parece não se ter enganado. Uddenäs encaixou como uma luva no papel do agora extremo do Feyenoord. Canhoto a jogar sobre a direita, foge do corredor lateral para o central de forma a explorar o seu bom pé esquerdo num movimento celebrizado por Arjen Robben e tão bem desempenhado a Norte por nomes como Jesper Karlsson (em sentido oposto), Patrik Wålemark e, até, numa fase inicial da carreira, Dejan Kulusevski.

Com uma capacidade de drible devastadora e uma facilidade enorme para surgir em zonas de finalização, Oscar Uddenäs assumiu-se como um dos grandes desequilibradores do início de temporada na Suécia, marcando ou assistindo, acabando por perder algum espaço com a afirmação de Ibrahim Sadiq e o maior estatuto de Lars Olden Larsen. É um jogador incrivelmente eficaz em todas as suas ações e depois de uma primeira época de afirmação quase imediata ao mais alto nível, a expetativa para o que possa vir a fazer em 2023 é grande.

, , ,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *