ONZE JOGADORES A SEGUIR COM ATENÇÃO EM 2023

A nova temporada do futebol nórdico está quase aí. A Superligaen regressa no dia dezoito de fevereiro, enquanto Allsvenskan, Eliteserien e Veikkausliiga têm datas de arranque marcadas para o início de abril. Antes disso, há taça em cada um deles e não faltarãm oportunidades de ouro para seguir cada um destes nomes. Não esquecer que Superligaen e Eliteserien têm transmissão gratuita para Portugal através da plataforma OneFootball, enquanto que a Allsvenskan pode ser vista através do Eurosport Player.

Eis as escolhas do MÅL! para jogadores a seguir com especial atenção em 2023.

JOHAN BÅNGSBO (IFK GÖTEBORG)

Não foi há muito tempo que a Suécia se viu perante um dilema de difícil resolução. Apesar do talento que sobejava em diferentes outras zonas do terreno, a posição de defesa central parecia poder vir a ser um problema no futuro. Do nada, porém, a afirmação de nomes como Hjalmar Ekdal, Isak Hien, Aiham Ousou e, especialmente, Johan Bångsbo, permitem a Janne Andersson encarar o futuro da seleção com outro otimismo deixando de recorrer ao eterno Marcus Danielson. Estreante na Allsvenskan em 2022, Bångsbo foi uma das grandes revelações da temporada e, perante comparações com Virgil van Dijk, não surpreende que o interesse do Liverpool no concurso do jovem de 19 anos tenha já surgido na imprensa. Central moderno, Bångsbo destaca-se na qualidade com que constrói e sai a jogar desde trás aliado a uma solidez defensiva e maturidade tática impressionante para a idade que lhe permitiu ter terminado a época com médias muito altas em matéria de interceções e recuperações de bolas.

HUSSEIN CARNEIL (IFK GÖTEBORG)

Os adeptos do histórico IFK Göteborg não têm tido muito por que celebrar nos últimos tempos mas se há algo em que podem ter orgulho, isso, é a sua academia. Ao longo dos últimos anos parte dos jogadores mais promissores do futebol sueco saíram dali (Oscar Vilhelmsson, Jesper Tolinsson, Yahya Kalley, Emil Holm ou Benjamin Nygren) e 2022 foi ano de afirmação de Johan Bångsbo e, claro, Hussein Carneil. Tal como Bångsbo também Carneil fez a sua estreia na Allsvenskan em 2022 e a sua entrada no onze da equipa de Mikael Stahre marcou uma clara melhoria na qualidade do futebol do gigante de Gotemburgo. O jovem criativo, canhoto, de 19 anos, evidenciou-se pela magia do seu futebol e capacidade para criar oportunidades de golo evidenciando uma assinalável versatilidade para jogar a partir do corredor direito, mas também no central. Altamente tecnicista, Carneil destaca-se pela capacidade de condução e drible e pela eficácia de todas as suas ações. É uma máquina de criação de oportunidades de golo e apesar do seu perfil claramente ofensivo mostrou uma capacidade defensiva muito interessante.

HUGO LARSSON (MALMÖ FF)

Internacional jovem sueco entre os Sub-17 e os Sub-19, Hugo Larsson teve um 2022 para recordar. Não só se estreou no escalão máximo do futebol do seu país como agarrou imediatamente uma posição central no então bicampeão sueco. Com Henrik Rydström ao comando do clube mais bem-sucedido do país nórdico, o entusiasmo em torno de Hugo Larsson cresce com o jovem de 18 anos – já internacional AA – a prometer uma ascensão meteórica rumo a uma das grandes ligas europeias. Médio centro completo, Larsson é um oito de ligação entre setores, um box to box, que se destaca pela capacidade de condução de bola e pela facilidade com que galga metros em condução muito por culpa da sua fisionomia e passada larga. Apesar da tenra idade, Larsson é já um jogador bastante atlético, enérgico e sempre ligado ao jogo que garante dinâmica ao meio-campo da sua equipa (resolve sempre rápido e de forma simples) e que impressiona pela facilidade com que enche o campo. Larsson, porém, está longe de ser um jogador puramente físico e ainda que não seja exatamente um criativo tem facilidade de chegada à área desequilibrando acima de tudo devido à inteligência e ao seu posicionamento em campo.

ALPER DEMIROL (HAMMARBY IF)

Aos vinte anos, Alper Demirol foi surgindo aos poucos na principal equipa do Hammarby na temporada passada e promete uma época de explosão já em 2023 tais foram os sentimentos positivos que transmitiu. Se o Bajen é uma das equipas a seguir com especial atenção na época que se avizinha é também por culpa de Demirol. Internaciol jovem sueco de ascendência turca, Demirol é um número seis moderno saído do molde de Sergio Busquets. Um “trinco” de construção e qualidade técnica, muito forte no passe e capacidade para gerir os tempos do jogo. Um médio subtil que impressiona pela maturidade com a bola nos pés apesar da quase completa inexperiência no futebol ao mais alto nível. Por tudo isto, um médio perfeito para o modelo de Marti Cifuentes e que, com ele, muito poderá crescer em 2023.

OSCAR SCHWARTAU (BRØNDBY IF)

A saída de Jesper Lindstrøm há quase dois anos deixou um vazio por preencher na equipa do Brøndby que ainda hoje se sente e, só agora, parece estar finalmente a ser colmatado. E, tal como sucedera com o agora atacante do Eintracht, era na formação que estava a solução. Qual meteoro vindo dos confins do cosmos, Schwartau surgiu com estrondo na equipa principal do emblema de Copenhaga e aos 16 anos já leva mais de 500 minutos na Superligaen tendo já festejado três golos – tendo-se tornado no mais jovem jogador de sempre a chegar a essa marca. Com a chegada de Jesper Sörensen ao comando técnico do antigo campeão dinamarquês a esperança é que Schwartau possa ganhar ainda mais preponderância na equipa dado o seu histórico. Alto e de processos simples e eficazes, Schwartau foi já comparado a Kai Havertz e é fácil perceber o porquê.

ERNEST NUAMAH (FC NORDSJÆLLAND)

Não é certo que Ernest Nuamah regresse para a segunda metade da temporada da Superligaen, mas dada a saída de Andreas Schjelderup neste mercado o jovem marfinense tem tudo para ganhar ainda mais preponderância no onze dos Tigres, agora, às ordens de Johannes Thorup. Habitualmente utilizado por Flemming Pedersen no centro do terreno, é a partir do corredor esquerdo que Nuamah se mostra mais diferenciado. Nascido do mesmo molde de nomes como Sulemana Kamaldeen ou Simon Adingra, também Nuamah é fortíssimo a partir do corredor esquerdo para o centro em diagonais venenosas seguidas de uma forte qualidade na finalização e sempre com tendência para o espetacular, tal qual, os antigos alunos da academia Right to Dream. Nuamah é fortíssimo em condução e devastador no drible e tem tudo para se afirmar (ainda mais) como um dos jogadores mais entusiasmantes do futebol dinamarquês.

ANTON GAAEI (VIBORG FF)

Apesar da notável qualidade na lateral esquerda, primeiro com Christian Sörensen e agora com Oliver Bundgaard, o Viborg era há algum tempo uma equipa “coxa” do seu lado direito. Não mais. A afirmação de Anton Gaaei surgiu em boa altura e o que se perspetivava que pudesse ser uma temporada complicada para o VFF tornou-se, na verdade, um manifesto exagero. À entrada para a segunda metade da época dinamarquesa, o Viborg é segundo classificado e em Anton Gaaei mora uma das grandes revelações da época. Extremo esquerdo de formação é sob a lateral direita que Gaaei vai fazendo a diferença mostrando ser mais uma opção de futuro para a posição na seleção do seu país que era, já, impressionante (Bah, Kristensen, Villadsen e Carstensen). Aos 20 anos, Gaaei leva já vinte jogos em 2022/23 tendo sido autor de três assistências. Sem surpresa devido ao seu passado, Gaaei é um lateral moderno, veloz, que oferece profundidade ao seu flanco e fruto do impressionante atleticismo que detém mostra capacidade para ir e vir constantemente bem ao jeito dos rivais de posição da prospect pool dinamarquesa.

MATHIAS FJØRTOFT LØVIK (MOLDE FK)

Processed with VSCO with hb1 preset

Com apenas meia dúzia de minutos ao serviço da equipa principal do Molde até ao início da temporada 2022, Løvik aproveitou da melhor maneira os problemas físicos de Kristoffer Haugen – bem como a afirmação de Birk Risa como central – para se assumir como uma das revelações da época norueguesa aos 18 anos. Internacional jovem por praticamente todos os escalões, Løvik entra em 2023 na pole position para a posição de ala esquerdo no clube fruto de uma grande recta final de temporada na qual rubricou três assistências e, agora com 19 anos, o jovem ala norueguês conta também com experiência de competições europeias e o interesse de clubes de outra dimensão, como o Galatasaray, já se faz ecoar na imprensa. Ala de cariz ofensivo, Løvik é um desequilibrador no último terço (último passe venenoso) que fruto de algumas deficiências defensivas se assume como perfeito para um esquema de três centrais como acontece em Molde.

NIKLAS JENSEN WASSBERG (BRANN FK)

Internacional jovem pelos Sub-17, 18 e 19 da Noruega, Wassberg leva já mais de três dezenas de jogos ao serviço da equipa principal do Brann somente aos 18 anos. O jovem médio ofensivo norueguês é uma das grandes promessas do país e um dos jogadores mais entusiasmantes para a época que aí vem, numa equipa que, ao contrário do que sucedeu em anos anteriores, pode muito bem vir a surpreender na Eliteserien muito por culpa do seu talento jovem. Com três golos e cinco assistências na OBOS-Ligaen em 2022, Wassberg teve uma temporada ideal para se ambientar ao futebol de alto nível e a expetativa para o ver desequilibrar na Eliteserien é grande. Médio centro de cariz ofensivo, segundo avançado, número dez e até extremo, Wassberg é versátil, mas acima de tudo é dotado de um talento quase inesgotável. Altamente desequilibrador, quer para proveito próprio quer coletivo, tem uma qualidade técnica muito acima da média e é uma máquina de criação de oportunidades de golo. Fortíssimo em condução, há poucos jogadores mais entusiasmantes do que Wassberg ainda a atuar no futebol norueguês.

DENNIS GJENGAAR (ODDS BK)

Dennis Gjengaar é um fenómeno. Aos 18 anos (internacional jovem pela Noruega dos Sub-15 aos Sub-18) e com apenas dez jogos disputados na Eliteserien, o jovem ala do Odd já leva uns incríveis cinco golos junto da elite do futebol do seu país. Com dois golos na estreia já em setembro e mais três durante a recta final da temporada – marcou quatro golos nas primeiras cinco titularidades -, Gjengaar deixou água na boca e abriu perspetivas de uma época arrasadora em 2023, tendo sido um dos grandes responsáveis pela salvação do Odd ao cair do pano. Ala de vocação ofensiva, Gjengaar ajudou a salvar a temporada de desilusão do Odd e ainda que a amostra possa ser curta não deixa de ser extremamente promissora.

ÍSAK SNAER THORVALDSSON (ROSENBORG)

A saída de Casper Tengstedt do clube de Trondheim deixa um vazio difícil de preencher no Lerkendal e as expetativas recaem sobre os ombros de Thorvaldsson. Podia ser pior, ainda assim. O poderoso avançado islandês vem de uma temporada avassaladora ao serviço do Breidablik e promete dinamitar a Eliteserien tal qual sucedeu com o agora avançado do Benfica. Afinal, se vindo da segunda divisão dinamarquesa Tengstedt o conseguiu, por que não o conseguirá Thorvaldsson? Já com passagens por Inglaterra e Escócia na sua curta carreira foi preciso um visionário islandês (Óskar Hrafn Thorvaldsson) para retirar o melhor do jovem atacante. A passagem de Isak Snaer do corredor esquerdo para o central foi determinante e o avançado do Breidablik terminou a Besta Deild com catorze golos e dez assistências, além dos três em cinco jogos durante a campanha europeia do emblema islandês. Fortíssimo na finalização, Thorvaldsson não precisa de muito para transformar uma oportunidade em golo e os números em matéria de eficácia do remate e aproveitamento das suas chances impressiona. Lembra alguém?

FC KØBENHAVN E NÃO SÓ…

Em jeito de menção honrosa com alguma batota à mistura, temos de falar do incrível talento jovem à disposição de Jacob Neestrup. Nem a saída de Victor Kristiansen para Leicester beliscou a situação já que pelo emblema do Parken se mantêm alguns dos mais entusiasmantes jovens jogadores nórdicos da atualidade. Roony Bardghji está mais do que identificado, mas para quem ainda não se tenha debruçado sobre o assunto muita atenção a Hakon Haraldsson, Orri Oskarsson, Elias Jelert, Valdemar Lund, Ísak Jóhannesson, Daniel Haarbo e, especialmente, a William Clem.

2022 foi também o ano de nomes como Oliver Zandén, Noah Söderberg, Yasin Ayari, Sebastian Nanasi, Otto Rosengren, Noah Eile, Amane Romeo, Christos Zafeiris, Sivert Mannsverk, Emil Breivik, Filip Jørgensen, Tobias Gulliksen, Joel Mvuka, Odin Holm, Aune Heggebø, Kai Meriluoto, Mads Bidstrup, James Gomez, Adamo Nagalo ou Gustav Isaksen, entre tantos outros que estando já noutro patamar acabarão por surgir no MÅL! individualmente. Desta vez é a sério.

AH! E não esquecer Daniel Karlsbakk, Montader Madjed, Jusef Erabi, Niklas Odegard, Otso Liimatta, Roni Hudd ou Miska Ylitolva. Prometem!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *